Poesia {em português}

…ou na língua que me deslize pelos dedos, em qualquer momento,
em qualquer lugar e a seu bel-prazer!

Palavras, palavras e mais palavras… escritas aqui e ali, com o tempo extraviadas, esquecidas, papéis soltos por aí, à margem de livros, revistas, dadas por mortas
ou mortas de fato, (talvez melhor assim!), já nada significam.
Algumas sobreviventes aqui estão, e dado que [de tanto bater perna pelo mundo
e como certas plantas epífitas ou aves de arribação, já quase sem raízes ou sem sensação de ninho] descreio, fui aprendendo que o mais sensato é não cultuar fetichismos relacionados à língua… primeira, segunda ou terceira… que importa?

Poesia {em espanhol}

Se saímos em busca de nossas origens, não são raras as surpresas.

Creio recordar meu avô dizendo que éramos descendentes de italianos.
Pois não, Bustamante é estirpe cantábrica.
Só bem mais tarde cheguei a descobrir esse detalhe familiar, que não sei até
que ponto me levou a casar-me com uma espanhola, de provável ascendência
sefardita e inclusive com umas gotas de sangue alemão, ou melhor bávaro, e
que por pouco acabava nascendo no Rio de Janeiro, onde o pai tinha passado
alguns anos.
Ou seja, tantas voltas (longe da Terrinha) para unir-me a uma espanhola que
afinal quase resulta ser brasileira.

Leituras {poesia}

micAo longo de muitos anos de vivência, residência e atividades profissionais
como músico (ópera e concertos) na Alemanha, primeiro em Frankfurt am
Main, durante os seminários de musicologia e pesquisas na Universidade
J.-W.-Goethe, ao mesmo tempo que Cursos Regulares de Canto e Piano,
Teoria Musical e Interpretação de Ópera, Oratório e Lied, na Escola Superior de Mú-
sica e Artes Cênicas dessa cidade, e mais tarde em Heidelberg, como integrante do corpo estável do Teatro Municipal, recebi numerosos convites para participar de leituras de textos de minha autoria (prosa, teatro e sobretudo poesia), em ocasiões especiais, salões, residências, bibliotecas particulares, galerias, e de leituras públicas em diversos locais e instituições.

Poesia {em alemão}

Um Brasileiro… em alemão… e ainda por cima poesía?
Lá no seu país normalmente se fala espanhol, certo?
Caramba, que é isso, no Brasil se fala português, claro. Português brasileiro!

Perguntas desse tipo, nada raras. Com certo mal estar e conforme as circunstâncias
ou o tom da pergunta, tento encontrar a resposta adequada, sem alterar-me. Como
se tivesse que me desculpar ou justificar o uso do idioma.
Um tom meio entre dentes querendo dizer “Como você se atreve, etc.”

Em primeiro lugar: Português! No Brasil se fala Português, um pouco diferente
do que se fala em Portugal, mas é isso, Português!